Regata de barcos rabelo - Porto

Todos os anos, no dia de S. João (24 de Junho), realiza-se no rio Douro uma regata de barcos rabelo. A "prova" começa na foz e a meta é na ribeira, junto à ponte de D. Luiz I. Os barcos pertencem a empresas produtoras de vinho do Porto, que antigamente os usavam (estes ou outros mais antigos) para transportar pipas de vinho desde as quintas no Douro até às caves em Vila Nova de Gaia. Actualmente estes barcos já não são utilizados para o transporte de vinho, vendo-se muitos deles atracados em Gaia "decorando" a margem e fazendo publicidade às diversas marcas. A regata é muito animada e disputada. Milhares de pessoas juntam-se nas margem para ver passar os barcos. O vento nem sempre ajuda... e esta é a única força que empurra os barcos...
(as fotos que mostro são das regatas de 2006 e 2007, podendo por isso parecer que há empresas com dois diferentes rabelos, o que não é verdade... mudaram as velas de um ano para o outro!)
Rabelos

Voortrekker Monument (Rep. da África do Sul)

O Voortrekker Monument é um monumento construido em granito, nos arredores de Pretória. Tem 40 metros de altura e uma base de 40x40 metros. Foi desenhado pelo arquitecto sul-africano Gerard Moerdijk, para simbolizar a coragem, a fé e o espírito indomável e aventureiro dos voortrekkers (pioneiros) que, a partir do Cabo, chegaram ao Transval. Foi inaugurado no dia 16 de Dezembro de 1949, aniversário da batalha de Blood River de 1838, em que se degladiaram os boeres e os zulus.
Três dos quatro cantos do monumento são guardados por heróis da Grande Marcha para o interior do país: Piet Retief, Andries Pretorius e Hendrik Potgieter. Um líder simbólico e sem nome guarda o quarto ângulo. À entrada encontra-se uma estátua em bronze de uma mulher voortrekker com os seus dois filhos. Por cima deles está representado uma wildebeest, símbolo dos perigos que encontraram. Por cima da entrada principal encontra-se a cabeça de um búfalo, considerado o animal mais perigoso quando está ferido. O monumento está rodeado por um muro circular com a representação de 64 vagões puxados por bois, simbolizando a defesa que os voortrekkers organizavam quando se sentiam ameaçados ou atacados.
Não obstante o Monumento e Museu (existente no piso -1) não serem muito populares entre os negros, devido às injustiças do regime do "apartheid" (findado graças à habilidade de Nelson Mandela), é um belo monumento que narra, por meio de interessantes painéis, a colonização do país vista pelo lado dos "Afrikaners" (descendentes dos colonizadores holandeses, que não aceitavam a presença inglesa) e que chegaram a fundar dois estados independentes - o Transvaal e o Estado Livre de Orange.
Um detalhe interessante é que todos os anos, no dia 16 de Dezembro, os "Afrikaners" reúnem-se aqui para celebrar a saga de seus ancestrais, quando o sol penetra por uma abertura no teto e ilumina uma placa comemorativa no centro do monumento.
Voortrekker Monument