Nampula 1972 - Nampula 2008 (Moçambique)

Este é um post diferente daqueles que aqui vou colocando: tomei uma série de slides tirados em 1972, mandei digitalizá-los e juntei-lhe uma série de fotografias do início deste ano de 2008 (mais duas ou três de 2004), resultando esta "mostra"! A "qualidade" de algumas das fotos não é boa, mas...

Nampula, capital da província com o mesmo nome e conhecida como "a linda" ou como a "capital do norte", é a terceira maior cidade de Moçambique com mais de 300 mil habitantes (há quem indique 350 mil). O seu nome teve origem no de um líder tradicional de nome M'phula ou Whampula ou N'wampuhla (dependendo das fontes...). Tendo sido elevada a cidade em 22 de Agosto de 1956, a sua construção terá tido início por volta de 1907 com a construção do comando militar de Macuana. Os militares tiveram sempre uma grande influência sobre esta cidade, começando pelo Major Neutel de Abreu, continuando com a instalação aqui do Quartel General do Exército Português nos anos 60 e, depois da independência, com a transformação do Quartel General em Academia Militar Samora Machel. Situada num planalto e rodeada de picos rochosos que lhe dão um encanto ímpar, Nampula é o nó de ligação para as províncias nortenhas de Cabo Delgado, Niassa e Zambézia, para isso contribuindo a linha de caminho de ferro que por aqui passa (Nacala - Malawi), as ligações por estrada que aqui se cruzam e o seu aeroporto internacional. A tudo isto acresce o seu clima ameno apesar de influenciado pelas monções, o traçado das suas ruas e a afabilidade da sua população.
Segundo escreve Manuel Ferreira (Lisboa 1946), na biografia de Neutel de Abreu, Nampula (na altura o "simples" posto militar de Macuana) era um "local formosíssimo, a 440 metros de altitude, onde hoje se encontra o quartel das forças militares. Lá longe, alargava-se a beleza extrema da floresta e, ao sul, a recortar-se no espaço, a serra Mihôvo, que se assemelha ao rosto e corpo de um negro. Sobre o verde-escuro das serranias, o céu, no entardecer, tingia-se de escarlate...”

Nampula 1972 - 2008