Moliceiros da Ria de Aveiro

O barco moliceiro ou simplesmente o moliceiro era originalmente utilizado para apanha do moliço (plantas aquáticas que são recolhidas para uso, como adubo, na agricultura) na ria de Aveiro e na região lagunar do rio Vouga. Esta actividade está em vias de desaparecer sendo os moliceiros usados actualmente mais para fins turísticos. O moliceiro é um barco de borda baixa (para facilitar o carregamento do moliço), muito elegante (há quem o considere como o barco regional mais elegante de Portugal) e é um dos ex-libris de Aveiro. Construído em madeira de pinheiro, o moliceiro tem cerca de 15 metros de comprimento, 2,5 metros de largura de boca e navega em pouca altura de água. Na sua propulsão usa uma vela, a vara e a sirga (cabo utilizado para rebocar os barcos nas passagens mais estreitas e/ou junto à margem). A proa e a ré são normalmente decorados com vistosas pinturas, resultando assim quatro quadros por barco, que ora ridicularizam de modo brejeiro situações do dia a dia, ora mostram motivos religiosos e históricos, ora... (vejam as fotos!...). Uma parte das fotos que mostro foram obtidas no "grande canal" em Aveiro e as restantes na Torreira antes da regata Torreira-Aveiro que se realiza anualmente.

Moliceiros

Igrejas de Goa - I (Índia)

Este post é dedicado às igrejas de Goa (Índia). Nele vou mostrar algumas das centenas de igrejas que existem neste antigo território português no Oriente. Li algures que existem em Goa cerca de 600(!) templos católicos, sendo que cerca de 400 têm mais de duzentos anos! Deve ser um dos lugares no mundo com maior densidade de igrejas!... Num outro post - Igrejas de Goa - II - poderão ser vistas as igrejas da Velha Goa (Old Goa). Dada a quantidade e a grandiosidade das suas igrejas Goa foi conhecida como a Roma do Oriente. De notar ainda que, durante o século XVI, a grandiosidade de Goa era tão grande que havia um dito que retratava bem a sua importância: Quem viu Goa, não precisa de ver Lisboa!
Como se pode constatar as igrejas são, dum modo geral, muito ricas. A talha dourada faz lembrar muitas das nossas igrejas. Não fora o calor e por vezes temos a sensação de que estamos no Porto, Braga... onde a tradição da talha dourada é muito grande.
Dado que as fotos que mostro já foram tiradas há cerca de três anos, que a memória e alguns apontamentos que tirei não foram esclarecedores, nem as consultas que fiz a diversas fontes, não pude evitar algumas omissões e, por certo, algumas incorrecções, pelo que agradeço a quem souber que me envie dados que permitam ultrapassar aquelas situações (mais notórias nas últimas fotos do álbum).
Igrejas de Goa - I